O Grupo de Estudos em Funcionalismo (GEF) foi criado em 2001, no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará. Hoje reúne, além dos pesquisadores e estudantes que atuam na UFC, pesquisadores de outras instituições de ensino superior no País, tais como UECE, UNILAB, IFCE, UFERSA, UFPA, UFOPA, UFG.

  As pesquisas desenvolvidas pelo grupo assumem pressupostos teórico-metodológicos funcionalistas ao  conceberem que: a) a língua serve a diferentes propósitos como instrumento de interação social entre os seres humanos e, portanto, não pode ser investigada como objeto autônomo, abstrato, ideal; b) a língua constitui um sistema semiótico, como configuração orgânica de funções relacionadas à produção de sentido que decorrem das escolhas dos indivíduos; c) a gramática deve considerar o uso linguístico efetivo, cabendo ao pesquisador analisar as funções comunicativas das expressões linguísticas; d) a investigação da língua em uso considera a integração dos componentes de análise, ou seja, da existência de uma sistematicidade entre os domínios funcionais da sintaxe, da semântica e da pragmática, sendo a sintaxe uma codificação dos domínios semântico e discursivo; e) a fluidez das categorias deve ser investigada tendo-se em vista as pressões dos usos sobre o sistema gramatical.

São questões gerais de pesquisa que interessam o Grupo de Estudos em Funcionalismo:

a) Que hipóteses teóricas sobre as interfaces entre gramática, discurso e cognição têm comprovação empírica na investigação da língua em uso?

b) Que relações de base funcional existem entre os aspectos da formulação e codificação linguística e os aspectos sociointeracionais que caracterizam, prototipicamente, os diferentes discursos, gêneros e tipos textuais?

c) Que condicionamentos estruturais, cognitivos e discursivos são empiricamente observáveis na variação e mudança linguística?

d) Com orientação teórica no Funcionalismo linguístico, que tipos de atividades de ensino de língua materna ou estrangeira contribuem para o desenvolvimento de habilidades e competências linguístico-discursivas?

As pesquisas desenvolvidas pelo grupo compartilham o interesse em analisar a língua em uso e têm encontrado suporte teórico em diferentes vertentes do Funcionalismo linguístico (sistêmico-funcional, tipológico-funcional, cognitivo-funcional, discursivo-funcional). A escolha é feita pelo pesquisador, e se faz de acordo com parâmetros teórico-metodológicos específicos, que estão relacionados a aspectos programáticos e questões de interesse de cada vertente, interface com outras áreas da Linguística, natureza dos fenômenos investigados, entre outros.  


Profa. Dra. Márcia Teixeira Nogueira (UFC)
Profa. Dra. Nadja Paulino Pessoa Prata (UFC)